sábado, 31 de agosto de 2013

Concurso

Concurso

Fenprof acusa tutela de deixar de fora todos os contratados

Oradour-sur-Glane - A Memória de Uma Infâmia


Oradour -sur-Glane - Limousin - França
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
  
Oradour-sur-Glane - A Memória de Uma Infâmia

A história de Oradour conta-se rapidamente se omitirmos as emoções e nos cinjirmos aos factos principais ocorridos naquele desgraçado e fatídico dia de 10 de Junho de 1944... o que não sei se será possível, aviso desde já...

Oradour era uma pacata vila francesa, daquelas que ainda hoje abundam França fora salpicando o campo tratado como um jardim entre cidades, entre florestas.
Oradour dista uns vinte km da cidade de Limoges e entrou na História, nesse malfadado dia, por uma sucessão de acontecimentos infames que qualquer pessoa, minimamente bem formada, gostaria que nunca tivessem ocorrido.

Por volta das 14 horas do dia 10 de Junho de 1944, exactamente quatro dias após o Dia D e o desembarque das tropas aliadas nas praias da Normandia, as tropas nazis entraram em Oradour sem que, inicialmente, provocassem o pânico entre os habitantes locais, naquele pacato dia Primaveril, um dia que parecia ser como tantos outros que o antecederam, como tantos outros que haveriam de vir.
As tropas alemãs das SS de Hitler cercaram a povoação e foram dando ordens de concentração de toda a população, sem excepções, na praça principal. E assim concentraram velhos, homens, mulheres, crianças. Já na praça, separaram homens para um lado, mulheres e crianças para outro. Este último grupo foi fechado na Igreja local. Seis jovens, mais do que azarados, cinco rapazes e uma rapariga, entraram entretanto na povoação num passeio de bicicleta de não escaparão, também eles, com vida.
Os homens foram sendo metralhados nas garagens e hangares existentes em Oradour, os corpos de mortos e de ainda vivos, porque "apenas" feridos, foram cobertos de palha e outros materiais de combustão rápida a que os soldados atearam o fogo que devorará mortos e vivos, numa cena dantesca difícil de imaginar.
As mulheres e as crianças foram assassinadas dentro da Igreja que lhes deveria conferir a protecção divina contra a barbárie daquelas tropas... enlouquecidas?! de cruéis nazis.
Primeiro foram lançadas granadas de gás, depois foi ateado fogo à igreja e ao seu conteúdo, mulheres e crianças tentando desesperadamente escapar do horror infligido arbitrariamente sobre uma população civil que não tinha nada a ver com exércitos e que prosseguia a sua vida dentro da normalidade possível num país ocupado pelo inimigo.

Tudo foi pilhado, a tudo foi pegado fogo, a todas as habitações, ao talho, à padaria, à farmácia, às escolas, às garagens, aos cadáveres na tentativa vã de apagar as provas da infâmia, felizmente tarefa não conseguida com êxito.
Em Oradour sur Glane foram assassinadas, naquele fatídico dia 10 de Junho de 1944, 642 pessoas, entre as quais 246 crianças. Da igreja só escapou uma mulher que conseguiu fugir com ferimentos depois de se atirar para o chão exterior, de uma altura de três metros, por um vitral partido. Do massacre perpetrado em Oradour só escapou uma criança do sexo masculino, um rapaz que desobedeceu às ordens da professora de encaminhamento para a praça de Oradour.
No pós-guerra, o governo de Charles de Gaulle decidiu-se pela preservação deste importante testemunho, desta infame memória do que a espécie humana, por vezes miserável, é capaz de levar a cabo.
Não, não esquecemos a ignomínia em Oradour-sur -Glane. E em Lidice, na Checoslováquia, exactamente dois anos antes. E também não esquecemos o resto.






Amarante - Incêndios IV

Amarante - Incêndios IV
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Amarante - Incêndios IV

Hoje a Serra da Aboboreira voltou a transformar-se num verdadeiro inferno. À hora a que escrevo, o panorama visto de Aldeia Velha é desolador e é o que pode ser apreciado nas fotografias que, lamentavelmente, saíram com a magnífica qualidade que aqui pode ser apreciada... rssssss...
A frente do fogo, imensa e extensa de quilómetros, progride serra adentro, imparável, em terra ainda não ardida, sendo que este é, pelo que sei, o terceiro grande incêndio em poucos dias.
Até quando andaremos às voltas com este desassossego?

Nota - Penso que este incêndio lavra na Serra da Aboboreira pelo Marco de Canaveses e por Baião.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Listas

Listas

Para consultar as Listas Definitivas de Colocação e Não Colocação da Mobilidade Interna 2013 clique aqui.
Boa sorte a todos!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Luta - Por Terras de França

As Mesmas Lutas - França
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Luta - Por Terras de França

As fotografias que agora partilho mostram-nos quatro cartazes colocados estrategicamente numa das rotundas da entrada desta localidade francesa que protesta contra medidas/decisões que visam o amontoamento de alunos, o fecho de escolas... onde é que eu já ouvi isto?
Por França, as mesmas lutas?

Amarante - Incêndios III - Um Ferido a Registar

Incêndio III - Reacendimento em Louredo
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Amarante - Incêndios III - Um Ferido a Registar

Ao fim da tarde o incêndio de ontem, de Louredo, voltou a reacender obrigando-nos à deslocação do centro da cidade para esta freguesia próxima aqui do burgo.
Desta vez, a rápida intervenção das corporações de bombeiros de Amarante, Vila Meã, Lixa e Felgueiras resolveram o problema em três tempos. É claro que os três tempos em incêndios é o que se sabe, porque desde o reacendimento, do fim da tarde até agora, à hora a que escrevo, regressada do teatro de operações, muitas horas passaram com bombeiros em acção já mais do que estafados!!!
Infelizmente, neste reacendimento, tivemos a registar um ferido, ao que sei queimado nas mãos e não sei se em mais alguma parte do corpo, de qualquer modo espero que sem gravidade, e que foi prontamente socorrido pelo INEM.
Aqui deixo votos de rápidas melhoras para o bombeiro hoje ferido. E desejo a continuação de bom trabalho para todos... é que os três focos ainda visíveis espalhados em direcções opostas visíveis pelos arredores de Amarante continuam a arder... aqui e ali.... a arder!
E já bastava.
Aliás, já basta!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Amarante - Incêndios II

Amarante - Incêndios II - Louredo
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Amarante - Incêndios II

Se escapei aos incêndios do Salvador e da Aboboreira o mesmo já não posso dizer do incêndio que queimou, ontem e hoje, ao que sei, terras de Banho, Vila Caiz, Louredo e talvez Fregim.
E pronto, lá fomos nós de bombeiros, eu a fazer a reportagem fotográfica monte acima, monte abaixo, para variar, os rapazes no combate às chamas que os desgraçados dos bombeiros andavam por perto mas não andavam exactamente ali.
A minha homenagem ao Lavrador que, conhecedor do terreno como ninguém, com os seus dois filhos e dois depósitos de água, controlou uma frente de incêndio para aí de 500 metros... de estimar um lavrador assim...
A minha homenagem à outra rapaziada familiar que também ajudou no combate às chamas e nos deixou nanar, finalmente!, a partir das cinco da manhã.
E a minha homenagem aos bombeiros portugueses, que, por estes dias, não têm conhecido parança.
Já chegava, catano!

Nota - Sim, o dia era de aniversário para a dona da casa... que desassossego... rssssssssssss...

Amarante - Incêndios I



Amarante - Incêndios I - Serra da Aboboreira
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Amarante - Incêndios I

A pouca vergonha é a mesma de sempre, é capaz de me provocar verdadeiro asco e resume-se à cena triste de sempre, que se repete ano após ano numa sequência que até dói de previsível - volta e meia, ano sim ano sim, os arrabaldes de Amarante ardem a bom arder com incêndios muitas vezes a começarem durante a noite e lá temos o velho panorama de sempre, capaz de arrepiar a alma mais insensível - braseiros aqui e ali a envolveram Amarante numa nuvem de fumo espesso onde nem o sol se atreve a penetrar por muito que se esforce e que brilhe lá de cima, aquecendo o nosso sistema solar.
Os efeitos dos incêndios são devastadores para as depauperadas economias locais, para além de deixarem em sobressalto as poucas populações, o mais das vezes muito idosas, resistentes ao êxodo rural imparável que deixará este país por certo tão pesado, mas tão pesado no litoral! que correrá sérios riscos de afundamento no bravio Atlântico.
Os efeitos dos incêndios são estes que agora partilho em fotografias tiradas no Jardim do Escorpião Azul, o único que possuo, outrora tão verde e viçoso, agora quase completamente reduzido a cinzas.
Sim, sei que a Mãe Natureza se encarregará de repor cada planta, cada árvore ardida... mas, até quando esta pouca vergonha se manterá?

Nota 1- Felizmente desta vez cheguei dois dias depois das labaredas e escapei ao seu combate... aqui...
Nota 2 - A fotografia da aldeia mostra o ar envolto em fumo... por aqui o ar tem estado praticamente irrespirável...

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Amarantinos

Missa Nova do Padre Luís Coutinho - S. Gonçalo - Amarante
Fotografia de Foto-Arte
 
Amarantinos

No passado dia 8 de Agosto publiquei aqui no blogue uma fotografia de um grupo de amarantinos, quase todos identificados, captada no dia da Missa Nova do padre Luís Coutinho.
Entretanto, o senhor coronel Artur Freitas teve a amabilidade de me oferecer mais duas fotografias do mesmo acontecimento que, tanto quanto sei, ocorreu em Junho de 1955, estava eu ainda no rabinho dos franceses...
Pelo seu interesse, partilho mais uma fotografia de amarantinos nos idos anos cinquenta.

Agradecida, Senhor Coronel!

A Taberna das Comadres

 
A Taberna das Comadres - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
A Taberna das Comadres

Não abriu há muito tempo e fiz hoje a primeira incursão a este espaço taberneiro excelente para se atacar petiscos e onde os pregos e as bifanas do Mário Maia são reis.
O espaço fica quase à beira-rio, perto do Arquinho, aqui mesmo em Amarante, tem um generoso pátio exterior, ideal para a confraternização entre amigos que se querem bem.
Foi o caso dos vinte que hoje juntámos numa combinação às três pancadas, numa noite quente de esborrachar, em que o jantar durou até às quinhentas entre gargalhadas sem fim e acabou com um beijo selando uma amizade velha que nem sei... que nem sei apenas porque eu sou mais pequenina.
Valeu! Programa a repetir para fintar a troika.
Recomendo.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Mercearia do Covelo

Mercearia do Covelo - Rua 31 de Janeiro - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Mercearia do Covelo

Se aqui pelo burgo vão fechando lojas atrás de lojas, tal como dei conta no post Amarante/Portugal a Encerrar, a verdade é que também há quem teime em remar contra a maré e abra lojas atrás de lojas tentando assim fintar a crise, quem sabe ajudando o burgo a sair dela.

Foi o caso da Joana Meireles que arregaçou as mangas e abriu esta deliciosa mercearia, na rua 31 de Janeiro, nº 210, em Amarante, chamada Mercearia do Covelo.
Aqui pode encontrar azeites e vinagres especiais, cervejas artesanais deliciosas que já experimentei, conservas variadas, vinhos xpto, maravilhosos biscoitos sortidos e por sortir, ai os biscoitos Paupério da minha avó Luzia!, chás, rebuçados, batatas fritas raras e produtos frescos como cogumelos produzidos aqui mesmo em Amarante.
Grande preocupação da Joana... que se respira em toda a loja? A presença de produtos portugueses e da região de Amarante em todo o interior da mercearia.
Assim se caminha em direcção ao futuro apostando na produção nacional. Portugal e os portugueses também fazem bem!

Desejo toda a sorte do mundo para este negócio emergente em muitas cidades, emergente também por aqui por Amarante... que Amarante já foi terra que deu cartas aqui pela região, em múltiplos sectores, mercearias incluídas que já viveram tempos de ouro que alimentaram muitas e muitas famílias...
Amarante conseguirá recuperar o seu brilho um pouco perdido? Continuará a afirmar-se como uma terra única e deveras especial?
Amarante... terra partida ao meio por um rio que é nosso, com um não sei o quê de burguês italiano no casario debruçado sobre o Tâmega, rodeada de arvoredo ora verde, ora pintando-se de Outono, ora despindo-se por completo assumindo uma nudez macia e quente.

Parabéns, Senhora Arquitecta!
Aqui lhe deixo um brinde ao futuro! Tchim! Tchim!

Nota - Na Mercearia do Covelo também pode petiscar...

Mais Novas do MEC Louco

Mais Novas do MEC Louco

Agora a EMRC. O desrespeito pelas pessoas é total.

"Depois de ter dito que este ano os professores de Educação Moral, Religiosa e Católica (EMRC) seriam ainda nomeados pela diocese, o Governo optou por aplicar já a legislação aprovada em Maio, que prevê colocações pelo Ministério."

domingo, 11 de agosto de 2013

Novas do MEC Louco

Novas do MEC Louco

"O Ministério da Educação e Ciência (MEC) está a forçar as escolas a recusarem matricular no 1º ano alunos que fazem 6 anos entre 16 de setembro e 31 de dezembro. Por lei, estes alunos têm a matrícula condicionada à existência de vagas e, este ano, o critério foi um dos utilizados para restringir ao limite a rede escolar devido à necessidade de cortar despesa."

É caso para perguntar: E a pedagogia, pá?

Nota - Para continuar a ler a notícia do CM, clique sobre o texto a vermelho.

Canoagem no Tâmega

Canoagem no Tâmega - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
Canoagem no Tâmega

Rebordelo - Fridão. Hoje... apenas para a rapaziada

Amor Electro

Amor Electro

Relembro os meus leitores que na próxima 4ª feira teremos os Amor Electro em concerto, em Amarante. A entrada é gratuita.

E o espectáculo será imperdível.


The Gift - Concerto Amarante

Concerto - The Gift - Amarante
Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
 
The Gift - Concerto Amarante

A casa, ao ar livre junto ao Tâmega, esteve a abarrotar para ver e ouvir os magníficos The Gift que se apresentaram poderosos e com uma  presença fortíssima em palco, cheios com a voz inconfundível e única da Sónia Tavares.
Tocaram, saltaram, cantaram e encantaram... é caso para dizer "Troika, ainda temos jóias!"

Partilho esta excepcional "Primavera", agora em dias/noites de Verão.


sábado, 10 de agosto de 2013

Arcus - Um Estranho Fenómeno

Arcus - Um Estranho Fenómeno

Aconteceu na Bélgica.


Novas do MEC Imparável

Novas do MEC Imparável



Está visto que nem em Agosto nos dão sossego!
Ontem a cortar nas turmas, nos alunos e nos professores, hoje nos funcionários. E tudo isto em pleno mês de Agosto, apenas aquele em que, fruto do calendário escolar, as comunidades educativas deveriam estar a banhos para retemperar forças e energias.
Ao invés, têm de lidar com a mais completa ausência de respeito por parte de quem as tutela.
É triste. Para não dizer outra coisa...

Educação - O Saco de Porrada

 
Educação - O Saco de Porrada

Diretores de escolas criticam prazo para entregar lista de excedentários

Fenprof teme que Governo privatize todo o ensino

Governo quer cortar 325 milhões de euros na educação

Ensino superior com menos 4.837 candidaturas na 1ª fase

A Quilhar o Mundo de Norte a Sul

 
A Quilhar o Mundo de Norte a Sul

No comments.

Nota - Agradecida pelo recorte, João Sardoeira!

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Alto e Pára o Baile!

 
Alto e Pára o Baile

A sério? Mesmo a sério? Passados todos estes anos de cortes a eito, a sério que vocês admitem cortar na imoralidade de um país cheio de portugueses sufocados se verem obrigados a pagar estas merd@s?
Ok, ok... as leis que regulam estas imoralidades são outras mas eu dou-vos a receita, já experimentada sobre quase todos os restantes portugueses - marimbem-se nos direitos adquiridos e mudem a merd@ das leis!!!

Ministério das Finanças admite alterar pensões vitalícias de políticos

Amarantinos

Fotografia de 1955 - Foto-Arte

Amarantinos

Hoje partilho uma fotografia que foi pela primeira vez publicada pelo senhor coronel Artur Freitas, a quem agradeço desde já a generosidade do acto sem o qual esta postagem não estaria a ser feita neste preciso momento em que escrevo estas palavras.
E acrescento-lhe a identificação de todos os amarantinos... e não só!, nela presentes, tirada no preciso dia da celebração da Missa Nova do padre Luís Morais Coutinho, na Igreja de S. Gonçalo, em Amarante.
De referir que todo o trabalho de escavação arqueológica que agora dá os seus frutos se deve ao meu precioso pai, José Ismael Coimbra Pinto de Queirós, que andou de fotografia em punho contactando gente da sua geração... de neurónios ainda frescos... obrigada a todos pela colaboração! Obrigada  pelas últimas dicas, Alberto Martins!

Agora entro eu em acção somente para aprimorar ainda mais o trabalho já de si primoroso do meu pai. E para isso nem preciso de me levantar desta cadeira em que me encontro sentada pois é só publicar este post, partilhá-lo com meia dúzia de pessoas com facebook descendentes destes amarantinos de outrora, partilhá-lo em páginas amarantinas e esperar a confirmação/acrescento dos nomes, possivelmente bastante incompletos nalguns casos, com uma ou outra incorrecção num ou noutro caso...

Agradeço desde já a vossa colaboração aí desse lado.

1 - Afonso Guedes Magalhães
2 - Artur Silva Costa
3 - Joaquim Pinheiro Duarte
4 - Benjamim Sanhudo (Marco de Canaveses)
5 - Carlos Ferraz (Marco de Canaveses)
6 - Rolando Torgo Rodrigues da Silva
7 - José Luís Morais Coutinho
8 - João Deus Monteiro
9 - Alexandrino Melo Matias de Magalhães
10 - António Sardoeira Pereira Silva
11 - Teófilo Mota Freitas
12 - Olegário Guedes Mendes Rosa
13 - Joaquim Marinho (Retretes)
14 - Primo de Laura Morais... falta o nome...
15 - Albino Costa
16 - José Ferraz (Marco de Canaveses)
17 - Maria Branca Mota Branco
18 - Maria Glória Fonseca Mota Freitas
19 - Maria Isabel Mota Branco
20 - Malheiro (Marido da Crisanta - Paredes)
21 - Rui Alves Martins
22 - Laura Ilda Mota Branco
23 - Laura Morais Coutinho
24 - Maria Ilda Navega
25 - Álvaro Silva Pinto (Marido da Rosália Viana)
26 - Maria Luísa Lopes Pereira
27 - Maria Alice Pato Rosa (Esposa do Olegário Rosa)
28 - Maria Alice Correia Almeida
29 - Vítor Sardoeira
30 - Morais (Primo do padre Luís Coutinho)
31 - Morais (Primo da Luísa Coutinho)
32 - Rodrigo Pinto de Queiroz (Meu querido avô paterno)
33 - Coronel Francisco Monteiro Carvalho Lima
34 - Tenente Coronel Costa Santos
35 - Clorinda Jesus Teixeira
36 - António Queirós
37 - Maria Helena Lopes Pereira
38 - Custódia Alves da Mota
39 - Aura Freitas (Prima do Teófilo Freitas)
40 - Rosália Viana
41 - Padre Luís Morais Coutinho
42 - Eng.º Manuel Vanzeler Macedo
43 - Maria Amália Macedo
44 - Maria Luísa Morais Coutinho
45 - Maria Lurdes Vanzeler Macedo
46 - Clotilde Rua Vanzeler Macedo
47 - Maria Isabel Branco Alves Martins
48 - Dr. Luís Vanzeler Macedo
49 - Eduardo Jorge da Rocha Leite da Rocha Leão
50 - Luzia Izilda Coimbra (Minha queridíssima avó paterna)
51 - Adelina da Costa Taveira
 
Creative Commons License This Creative Commons Works 2.5 Portugal License.